noticia-ANS
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

Recursos extras são disponibilizados para estados realizarem cirurgias eletivas

São 53 tipos de procedimentos cirúrgicos que fazem parte da rotina dos atendimentos oferecidos à população nos hospitais de todo o país, de forma integral e gratuita, por meio do SUS.

Já estão disponíveis recursos extras para o acesso de pacientes às cirurgias eletivas realizadas no Sistema Único de Saúde (SUS). A previsão de repasse para 2021 é de R$ 350 milhões para os estados, Distrito Federal e municípios por meio do Fundo de Ações Estratégicas e Compensação (FAEC), após a comprovação da produção dos procedimentos. São 53 tipos de procedimentos cirúrgicos que fazem parte da rotina dos atendimentos oferecidos à população nos hospitais de todo o país, de forma integral e gratuita, por meio do SUS. 

O incentivo aos municípios é para dar celeridade às esperas por cirurgias eletivas de média complexidade e diminuir o tempo para quem aguarda por procedimentos agendados. 

As cirurgias mais demandadas são oftalmológicas: para tratamento de catarata e de doenças da retina. Além dessas, também estão na lista procedimentos para correção de hérnias e retirada da vesícula biliar, vasectomia e laqueadura, além da cirurgia de astroplastia (quadril e joelho). 

Em 2019, foram realizadas pelo SUS cerca de 8,8 milhões de cirurgias eletivas em todo o país. Esses procedimentos cirúrgicos são os que não precisam ser realizados em caráter de urgência, podendo assim ser agendados. Em 2020, foram registrados no sistema de informação do SUS mais de 6 milhões de cirurgias em todos os estados brasileiros. A queda nos procedimentos cirúrgicos no ano passado está relacionada a necessidade de a rede de serviços de saúde públicos e privados disponibilizarem os leitos clínicos e de terapia intensiva para o atendimento de pacientes com covid-19. 

Os gestores locais, responsáveis pela organização e a definição dos critérios que garantam o acesso do paciente às cirurgias eletivas, podem se programar para utilização dos recursos de acordo com a população per capita de cada estado. 

O incentivo somente será liberado para os gestores após a apresentação de produção executada no sistema de informação do SUS e para aqueles que excederem a meta física estabelecida, financiada pelo teto MAC (Média e Alta Complexidade) do município. 

VEJA OS VALORES EXTRAS PARA CADA UF:  

ESTADO                                 VALOR
Alagoas (AL)                            R$ 5.558.367,50
Ceará (CE)                               R$ 15.209.474,31
Mato Grosso Sul (MS)                R$ 4.628.400,70
Pará (PA)                                 R$ 14.328.070,16
Pernambuco (PE)                      R$ 15.917.300,08
Paraná (PR)                            R$ 19.043.253,39
Rondônia (RO)                         R$ 2.959.967,93
Rio Grande do Sul (RS)              R$ 18.948.789,57
Santa Catarina (SC)                  R$ 11.932.953,16
Tocantins (TO)                         R$ 2.619.608,05
Minas Gerais (MG)                    R$ 35.256.617,71
Sergipe (SE)                            R$ 3.828.477,79
Rio Grande do Norte (RN)            R$ 5.848.663,06
Piauí (PI)                                 R$ 5.451.559,00
São Paulo (SP)                         R$ 76.478.168,09

Com informações do portal gov.br (19/04/2021)

Últimas Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *