Até 2020, a estratégia DigiSUS Gestor, do Ministério da Saúde, estará completamente disponível e beneficiando não só os gestores, mas toda a população brasileira.

 

Os gestores federais, estaduais e municipais de saúde já têm disponível um novo local que centralizará diversas fontes de informações relevantes para o planejamento das ações no setor. Trata-se da plataforma DigiSUS Gestor, onde esses profissionais poderão realizar o monitoramento dos indicadores e metas pactuadas para a saúde. Com isso, será possível tomar decisões estratégicas para cada região por meio da disponibilização de informações acessíveis, qualificadas e georreferenciadas. A nova plataforma é mais uma ação do Ministério da Saúde no contexto da Estratégia e-Saúde para o Brasil.

De acordo com o Diretor Substituto do Departamento de Monitoramento e Avaliação do SUS, Alex Mansur Mattos, “o DigiSUS Gestor vai organizar e transformar um imenso volume de dados e informações em ferramentas e produtos confiáveis e de fácil acesso, que, além de conversarem entre si, ajudarão técnicos e profissionais de saúde a identificar problemas, planejar ações e tomar decisões com mais segurança. Com isso, o projeto pretende, entre outras coisas, promover: o aperfeiçoamento da gestão; o acompanhamento das políticas de saúde; o aprimoramento do uso dos recursos públicos; o aumento da eficiência da atenção e, por fim, a melhoria da saúde da população” conclui.

De fácil acesso, a nova plataforma está dividida em três módulos: Planejamento, Análise e Monitoramento. O primeiro módulo permitirá ao gestor sistematizar dados referentes ao planejamento em saúde dos estados e municípios. Com o segundo módulo, esses gestores poderão organizar e interpretar uma grande massa de dados sem perda da performance, aumentando assim a assertividade no processo decisório e a participação da sociedade. Além disso, será possível antecipar os riscos e identificar tendências para aprimorar, continuamente, o SUS. Por fim, no terceiro módulo será possível acompanhar as ações desenvolvidas durante a gestão.

Até 2020 o programa deve estar com todas as suas funcionalidades disponíveis, mas os gestores já podem contar com dados da Sala de Apoio à Gestão (SAGE) e do Mapa da Saúde, essenciais na identificação das necessidades de saúde. O DigiSUS Gestor funciona em ambiente fechado. Para ter acesso a plataforma, os gestores vão receber capacitação e receberão senha e login.

Outros sistemas devem ser implementados até o final de 2020, como as informações sobre planos de saúde, programações anuais de saúde, relatórios quadrimestrais e anuais de gestão, pactuação federativa; novas funcionalidades de análise situacional de saúde no novo Mapa da Saúde; disponibilização de microdados e ferramentas de análise de dados.

O DigiSUS tem o objetivo de instrumentalizar os gestores públicos, pesquisadores, e toda a sociedade, a obter e sistematizar informações e dados produzidos pelo Ministério da Saúde, por suas entidades vinculadas e por órgãos de pesquisa, e disponibilizá-los, por intermédio da internet, em forma de painéis, mapas, gráficos e tabelas de caráter executivo e gerencial. Para o cidadão, a plataforma permitirá o acesso a informações claras e concisas, estimulando a participação social e tornando os cidadãos brasileiros cada vez mais protagonistas de sua própria realidade e de ser futuro.

 

Estrategia E-Saúde

O DigiSUS é a estratégia do Ministério da Saúde de incorporação da saúde digital (e-Saúde) como uma dimensão fundamental para o Sistema Único de Saúde (SUS). Por meio da disponibilização e uso de informação abrangente, de forma precisa e segura, a ação tem o objetivo de aprimorar constantemente a qualidade dos serviços, dos processos e da atenção à saúde.

Em todo o mundo, o uso da Saúde Digital tem mudado a forma de organização e disponibilização dos serviços de saúde. Iniciativas como o Cartão Nacional de Saúde (CNS) e o Registro Eletrônico de Saúde (RES) são exemplos deste cenário no Brasil. Diante disso, o Ministério da Saúde entende que a implementação desta estratégia se traduz em projetos e ações inseridos na abordagem digiSUS, que, por meio de um resgate histórico de conceitos e experiências estruturados nacional e internacionalmente, intencionam agilizar o atendimento e melhorar o fluxo de informações para apoio à decisão em Saúde.

Até 2020, a e-Saúde estará incorporada ao SUS como uma dimensão fundamental, sendo reconhecida como estratégia de melhoria consistente dos serviços de Saúde por meio da disponibilização e uso de informação abrangente, precisa e segura que agilize e melhore a qualidade da atenção e dos processos de Saúde, nas três esferas de governo e no setor privado, beneficiando pacientes, cidadãos, profissionais, gestores e organizações de saúde.

 

 

 

Com informações do Portal da ANVISA (23/11/2018)