São R$ 4 milhões do Ministério da Saúde para 22 novos leitos de UTI neonatal em Duque de Caxias e Valença. Já Petrópolis terá uma unidade de alta complexidade cardiovascular.

A assistência à população de Duque de Caxias e Valença, municípios do Rio do Janeiro, ganham reforço com a habilitação de novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) no SUS. Petrópolis, município da região serrana do Rio de Janeiro também terá reforço na rede hospitalar e passa a contar com os serviços de unidade de assistência à alta complexidade, no Hospital Escola Alcides Carneiro. Para as novas habilitações, o Ministério da Saúde repassará R$ 4 milhões.

Do total de recursos serão repassados R$ 1,6 milhão para 12 leitos de UTI neonatal no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, na cidade de Duque de Caxias, que reforça o número de leitos na região da Baixada Fluminense. Outros 10 leitos são de UTI neonatal do Hospital Escola Luiz Gioseffi Jannuzzi da Fundação Educacional Dom Andre Arcoverde, em Valença, que contarão com recurso da ordem de R$ 1,3 milhão.

Para o município de Petrópolis serão repassados R$ 1.1 milhão para o Hospital Escola Alcides Carneiro habilitar a unidade de assistência em alta complexidade cardiovascular. O Hospital, com mais de 75 anos tem um histórico de importância para a saúde pública da região serrana do Rio de Janeiro. O Centro em alta complexidade servirá de referência para a realização de cirurgias vasculares e procedimentos endovasculares.

Os recursos serão para o custeio de ações e serviços hospitalares em atenção à saúde da população dos municípios beneficiados. A portaria 1.930 de 18/07/19, incorpora o valor ao limite financeiro de média e alta complexidade do Estado e município.

Neste mês, o Ministério da Saúde já havia habilitado cinquenta novos leitos  de UTI neonatal, no Rio de Janeiro, que também passam a reforçar a atenção integrada e humanizada aos recém-nascidos. Este reforço foi no município de Campos dos Goytacazes (RJ), no Hospital dos Plantadores de Cana (HPC), que atende pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Leitos neonatais no SUS

O Ministério da Saúde, nos últimos anos, investiu na expansão de leitos pediátricos e neonatais para atendimento de maior complexidade, destinados a pacientes graves e que exigem maior estrutura e esforço de profissionais. O crescimento da oferta de leitos de cuidados intermediários e intensivos para esses casos foi de 25% entre 2010 e 2018, totalizando atualmente mais de 11,6 mil leitos no SUS (jul2010-mar2019).  

A pasta ressalta que também tem investindo na qualificação do pré-natal, é possível prevenir fatores de risco que levam ao parto prematuro antes do período gestacional mais adequado; contudo, também possibilitam uma melhor definição por intervenções para interrupção da gestação quando há algum risco de vida para mãe ou bebê. Nesse sentido, a melhoria da atenção nem sempre evita os nascimentos de bebês prematuros, mas, com certeza, diminui a mortalidade materna, fetal e neonatal.

Com informações do portal da ANVISA (29/08/2019)