Os recursos liberados pelo Ministério da Saúde são destinados aos Hospitais de Pinheiros, na Baixada Maranhense, e Santa Inês, na região Nordeste do estado.

O Ministério da Saúde, por meio de portaria, liberou R$ 2,7 milhões para o custeio mensal de 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no Maranhão. Esse valor a mais passa a integrar o total de recursos de média e alta complexidade do estado, e serão destinados ao custeio dos novos leitos nos municípios de Pinheiro e Santa Inês. Ao todo, serão beneficiadas 39 cidades, que são cobertas pelos dois municípios. Os novos leitos são destinados a pacientes adultos graves e serão habilitados em dois hospitais que atendem 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Dos 20 novos leitos, dez serão habilitados no Hospital Regional da Baixada Maranhense Dr. Jackson Lago, localizado em Pinheiros. Para isso, o município receberá aporte federal de R$ 1,3 milhão, que serão incorporados ao limite financeiro de Média e Alta Complexidade do estado. O hospital recebe pacientes da região da Baixada Maranhense, que compreende 21 cidades com aproximadamente 500 mil habitantes, evitando que a população se desloque até a capital para ter atendimento médico.   

O Hospital Regional da Baixada Maranhense realizou entre 2017 e junho de 2019, 11,4 mil internações e mais de um milhão de atendimentos ambulatoriais, totalizando repasse federal de R$ 16,7 milhões, liberados pelo Fundo Nacional de Saúde para o Fundo Estadual do Maranhão. Atualmente, a unidade conta com 116 leitos, sendo dez de UTI e 2 de isolamento, e oferta 12 especialidades, entre eles cardiologia, cirurgia geral, neurocirurgia, pediatria, mastologia e ortopedia e traumatologia. A população também tem acesso a oitos tipos de exames, como tomografia e mamografia.  

Os outros dez novos leitos estão sendo habilitados no Hospital Regional Tomás Martins, na cidade de Santa Inês, na região nordeste do estado. A unidade é referência às regiões de Santa Inês, Zé Doca e Pindaré, que compreende cerca de 160 mil pessoas. O hospital contará R$ 1,3 milhão que igualmente será incorporado ao limite financeiro de Média e Alta Complexidade do estado.

A unidade, que é referência para 18 municípios da região, possui 116 leitos e oferta serviços especializados em cardiologia, clínica cirúrgica, cirurgia infantil, clínica médica, gastroenterologia, nefrologia, neurologia, neurocirurgia, oftalmologia, ortopedia, pediatria e urologia. Entre janeiro de 2017 e junho de 2019, 10.624 internações e quase 577 mil procedimentos ambulatoriais. Pela produção, no período, os valores federais repassados foram de R$ 11,5 milhões.

Com informações do portal da Ministério da Saúde (02/09/2019)