Simone Tebet_02

Equipe de campanha de Simone Tebet recebe presidente e vice-presidente da ABIIS, para debater propostas para a saúde

Série de encontros com lideranças políticas busca a consolidação de um Complexo Industrial da Saúde, incentivo à pesquisa/inovação e reformas estruturais para minimizar o “Custo Brasil”, entre outras questões.

O coordenador do programa de governo da candidata à presidência da República pelo MDB Simone Tebet, Germano Rigotto, e o ex-secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, que também trabalha na campanha, receberam o presidente e o vice-presidente do Conselho de Administração da Aliança Brasileira da Indústria Inovadora em Saúde (ABIIS), Carlos Eduardo Gouvêa e Bruno Boldrin Bezerra, em São Paulo, no dia 28 de setembro, para debaterem propostas para a saúde no Brasil. Também participou o consultor de Relações Institucionais e Governamentais, Armando Queiroz Monteiro Bisneto.

            O presidente da ABIIS destacou que a pandemia mostrou a importância de resgatar o valor do SUS. “Temos buscado novos modelos de organização produtiva. Precisamos repensar – seja no diagnóstico, em equipamentos ou medicamentos – meios de não ficarmos totalmente reféns de uma ruptura logística ou de uma eventual guerra. Não estamos falando de substituição plena da importação, mas substituição inteligente e estratégica em que o Brasil se insira no contexto global das cadeias de produção com um papel mais relevante”, defendeu Gouvêa.

Em complemento, Bezerra afirmou que “o setor precisa ser olhado como prioridade estratégica, não só do ponto de vista da assistência a saúde, mas pela capacidade que essa indústria tem de gerar emprego qualificado, de desenvolver produtos no Brasil, montar fábrica aqui – independente do capital ser nacional ou estrangeiro – para gerar arrecadação tributária, incremento de tecnologia e exportações”. E reforçou que o livro ‘Desafios e Propostas para o Setor de Dispositivos Médicos no Brasil’, com as 17 sugestões elaboradas pela ABIIS, não tem data de validade. “Independentemente do candidato que ganhar, vamos trabalhar para que essas propostas avançarem, inclusive com uma atuação ainda mais forte no legislativo”.

Germano Rigotto elogiou o material e concordou que o setor é estratégico porque, se receber a atenção merecida, além de gerar emprego e renda vai melhorar os indicadores de saúde. E afirmou que as propostas serão levadas à bancada do partido que se eleger em todo o país.

Desde o lançamento do projeto Agenda Saúde 2022/2030 – Dispositivos Médicos, em dezembro do ano passado, a ABIIS já se reuniu com os candidatos à presidência do PDT, Ciro Gomes; do Novo, Luiz Felipe d’Avila; com o candidato a vice-presidente da chapa do Lula, Geraldo Alckmin; com os então pré-candidatos à presidência, Sergio Moro e Luciano Bivar; com o ex-governador do Rio Grande do Sul pelo PSDB, Eduardo Leite; além do senador e ex-Ministro da Saúde, Humberto Costa, que integra o grupo de trabalho na área da saúde da campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do PT; o presidente do Partido Social Democrático (PSD), Gilberto Kassab; entre outras lideranças políticas brasileiras.

Últimas Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.