Os líderes das principais economias do mundo reconhecem a importância do financiamento da cobertura universal da saúde nos países em desenvolvimento

A cobertura universal da saúde é a base para o crescimento econômico sustentável e inclusivo.  Esse é o entendimento compartilhado pelos líderes dos países-membros do G20, que, reunidos nesta sexta-feira (28), em Osaka, no Japão, também reconheceram a importância do financiamento nos países em desenvolvimento. Além disso, e em consonância com as medidas que já vêm sendo adotadas pelo governo brasileiro, o fortalecimento da Atenção Primária foi apontado como fundamental para a cobertura universal da saúde e para a redução das desigualdades.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, integra a delegação brasileira da 14ª Cúpula do G20, dada a relevância do tema financiamento em saúde. Durante a participação na reunião conjunta entre ministros da Saúde e da Economia do G20, Mandetta afirmou que a cobertura universal da Saúde é uma questão central na agenda global. “O Brasil fomentou discussões na região das Américas para ampliar esse conceito, incluindo a perspectiva do acesso universal, que compreende a possibilidade de a população usar efetivamente serviços de saúde abrangentes, apropriados, oportunos e de qualidade, quando necessário”, destacou.

Sobre a importância da Atenção Primária para a saúde global, o ministro reforçou que essa é uma das principais metas do Brasil, que já vem trabalhando, desde o início desta gestão, em ações voltadas para essa área.“Reconhecemos a importância de aumentar a eficiência e o desempenho dos sistemas de saúde, alocando recursos para o nível de Atenção Primária, que precisa estar organizada em torno de pessoas e não de doenças. Essa  é uma maneira eficiente e econômica de organizar um sistema de saúde”, afirmou o ministro Mandetta.

Entre ações já em execução no Brasil, estão o reforço do atendimento nas unidades de Saúde da Família e a ampliação das coberturas vacinais. Segundo Mandetta, o ressurgimento de doenças que podem ser prevenidas pela imunização é uma ameaça real para todos os países, independentemente de seu estágio econômico de desenvolvimento. “Todos devemos fortalecer nossos compromissos de ampliar as coberturas globais de vacinas”, finalizou.

Desafios Globais

Os líderes do G20, constituído pelas 19 principais economias do mundo e a União Europeia, emitiram conjuntamente uma declaração, em que reafirmam diversos compromissos e  reconhecem como fundamental o financiamento sustentável da saúde, de acordo com o Entendimento Compartilhado sobre a Importância do Financiamento da cobertura universal da saúde nos países em desenvolvimento.

Na declaração, os representantes desses países também se comprometem a promover ações para o envelhecimento saudável, por meio de medidas em prol da  prevenção e do controle de doenças transmissíveis e não transmissíveis; a melhoria da segurança sanitária, em que citam a sustentabilidade e a eficiência dos mecanismos globais de financiamento de emergências de saúde;  além de reafirmarem o compromisso de erradicar a pólio, as epidemias de AIDS, tuberculose e malária.

G20

Principal mecanismo de governança econômica mundial, o G20 reúne chefes de estados, ministros e autoridades de alto nível da África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Reino Unido, Rússia Turquia e União Europeia. Juntos, representam 90% do PIB mundial, 80% do comércio internacional e dois terços da população mundial. Trata-se, portanto, de agrupamento com poder político e econômico coletivo, capaz de influenciar a agenda internacional, de promover debates sobre os principais desafios globais e adotar iniciativas conjuntas para promoção do crescimento econômico inclusivo e o desenvolvimento sustentável.

Com informações do portal do Ministério da Saúde (28/06/2019)