748ad935-4146-44aa-bfd3-790e1116c082
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

“A pandemia nos trouxe várias lições, como a necessidade do fortalecimento do complexo industrial de saúde brasileiro”, diz Marcelo Queiroga

Ministro participou da cerimônia de inauguração do laboratório de biologia molecular em parceria com a Fiocruz.

O Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, destacou, nesta quinta-feira (14), o papel do complexo industrial de saúde brasileiro no enfrentamento à pandemia de Covid-19 e como o setor foi fundamental para a melhora do cenário epidemiológico identificada nos últimos meses.

O tema foi abordado durante a inauguração do novo laboratório de biologia molecular do Instituto Senai de Inovação Química Verde. A iniciativa é resultado de uma parceria entre a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), do SESI e do SENAI.

O novo laboratório terá alta tecnologia para o desenvolvimento de pesquisas de novos medicamentos, vacinas e insumos. O primeiro projeto será para identificar o surgimento de novas doenças infectocontagiosas, como novas variantes da Covid-19.

“A pandemia da Covid-19 nos trouxe várias lições, entre elas a necessidade do fortalecimento do complexo industrial da saúde brasileiro. O Brasil apostou, há 30 anos, em construir um sistema de acesso universal e gratuito. Num país continental e com mais de 200 milhões de habitantes, esses sistema não pode ter políticas públicas com concretude se o complexo industrial não produzir os insumos para contribuir com a sustentabilidade do nosso sistema. Durante a pandemia, tivemos dificuldades. Até máscaras tivemos de importar da Ásia no início, mas nosso país soube dar respostas”, defendeu o ministro.

Graças ao investimento do Governo Federal, o Brasil se tornou produtor de vacina. Devido ao acordo de transferência de tecnologia entre a farmacêutica Astrazeneca e a Fiocruz, o Brasil agora é capaz de fabricar imunizantes 100% nacionais, desde o ingrediente farmacêutico ativo (IFA) até o envase.

“Nós, nesse momento que vivemos, temos um cenário epidemiológico mais controlado. Todos sabem que a nossa campanha de imunização é uma das maiores do mundo. E a vacina produzida pela Fiocruz é o principal imunizante que tem sido utilizado hoje pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI)” comentou.

Com informações do portal gov.br (14/10/2021)

Últimas Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *